Imóveis Sustentáveis e o Mercado Imobiliário Brasileiro Pós-Crise

Imóveis SustentáveisNo ano passado, o mercado imobiliário brasileiro experimentou um crescimento inusitado e há muito tempo não visto. Construíram-se muitos imóveis e de forma rápida essas unidades eram vendidas e financiadas quase sem poderem atender a demanda do mercado que estava grandemente aquecida. Nessa “onda” de prosperidade, a venda de apartamentos sustentáveis, alavancou também esse El Dorado mercadológico.

Infelizmente, a crise econômica mundial caiu como uma bomba nesse mercado e provocou uma redução drástica nas vendas de imóveis sustentáveis e regulares. Imediatamente, as construtoras e incorporadoras “meteram o pé no freio” nos novos empreendimentos e encontraram até alguma dificuldade para completar os empreendimentos que já estavam em andamento.

Graças à intervenção rápida do governo federal, que liberou uma importante soma de recursos para os bancos federais bancarem a ausência dos financiamentos oferecidos anteriormente pelos bancos privados, a venda de imóveis sustentáveis tem a grande chance de recuperar o excelente momento que experimentou no ano que passou. Além do óbvio apelo ecológico, os apartamentos sustentáveis, ainda possuem um atrativo irresistível para o consumidor que é a grande economia de recursos financeiros que eles proporcionam para seus moradores.

Por isso mesmo, apesar da queda nas vendas de apartamentos sustentáveis, espera-se que assim que o nível dos financiamentos alcance um patamar bem próximo do que estava sendo oferecido no ano passado, esse nicho de mercado experimente uma rápida recuperação nos níveis de venda e que possa provocar um novo aquecimento e uma nova leva de empreendimentos e de projetos voltados para esse setor da construção civil.

Com o dinheiro injetado pelo governo federal no mercado, através dos bancos públicos, e a manutenção da oferta de financiamentos de até cem por cento do valor do imóvel; o consumidor que desejar comprar o seu apartamento sustentável não deverá encontrar maiores dificuldades para a obtenção desses financiamentos. O grande problema deverá ficar com os compradores que haviam buscado o financiamento nos bancos privados antes da crise estourar. Se o cliente não ficar atento, a alta dos juros, pode representar um aumento muito significativo nas prestações anteriormente contratadas; provocando um verdadeiro susto na hora de fechar-se o contrato com a banco. Para esses casos, a melhor opção é simplesmente trocar o banco. Deixe o seu banco “chupando os dedos” e vá para um banco público, certamente lá você será muito bem recebido e suas parcelas não doerão tanto no seu bolso.

O mais importante; é entender que a venda de imóveis sustentáveis será, ainda por muito tempo, uma excelente opção de investimento para construtorasempreendedoras, compradores e financiadores. Afinal de contas, entre morar em imóveis comuns e num imóvel que lhe proporcionará um melhor bem viver (e ainda por cima economizará dinheiro para você) com qual você prefere ficar?

Por isso mesmo, o governo federal deve proporcionar um aporte de recursos para que os valores disponíveis para o financiamento desses apartamentos não se esgotem rapidamente e seja capaz de suprir a demanda. Com isso, os bancos particulares acabarão sendo forçados a curvarem-se em suas exigências e taxas de juros ou serão suplantados pelos bancos públicos em volume de negócios.

f iconCompartilhar no Facebook
Quer mais notícias sobre sustentabilidade?

Nós gostamos de compartilhar histórias como essa no Facebook.
Clique em curtir abaixo e comprove.

(Sério, você não vai se arrepender!)

comente

Deixe um comentário

XHTML: Você pode utilizar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>