A Agenda 21 e as Metas de Desenvolvimento do Milênio

agenda 21 A Agenda 21 e as Metas de Desenvolvimento do MilênioDesde que foi realizada a Eco-92, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), um documento parece estar sempre em voga no pensamento de quem se preocupa com temas mais que atuais – como “Sustentabilidade” e “Preservação”. Este documento responde pelo nome de Agenda 21.

O documento apenas estabelece a importância de que cada país reflita – global e localmente – sobre como os diversos ramos da sociedade (notadamente as organizações de todas as esferas governamentais) podem contribuir para encontrar soluções voltadas aos problemas sócio-ambientais. Cabe a cada nação fazer a sua própria Agenda 21 – no Brasil, há uma comissão responsável por tal atividade, denominada CPDS – Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21 Nacional.

Esta iniciativa, porém, não foi um rebento “instantâneo” da Eco-92, mas tem origem um pouco anterior quando, em 1987, a ONU publicou um relatório intitulado “Nosso futuro comum”, ou “Relatório de Brundtland”, que apontava, como principais causas da insustentabilidade de desenvolvimento e dos problemas ambientais, a pobreza dos países do Hemisfério Sul e o consumismo dos países do Hemisfério Norte.

Tal pensamento é, justamente, o cerne da Agenda 21, que prega uma reformulação do conceito de “progresso”, atualmente baseado na capacidade de produção e consumo de um país – levando em conta, inclusive, o valor do que é produzido e consumido.

Talvez seja este o maior empecilho enfrentado pela Agenda 21. O fato de propor uma reformulação não apenas de pensamento, mas da estrutura econômica na qual se apoia o sucesso de grupos dominantes provavelmente impede que políticas voltadas à sua real implementação sejam de difícil penetração nos centros de tomada de decisão.

No Brasil, a Agenda 21 prioriza programas de inclusão social, sustentabilidade urbana e rural, ética política para o planejamento de um desenvolvimento sustentável, dentro outras. Mas um dos grandes problemas, como o combate ao desperdício – de dinheiro público, inclusive – parece não ocupar grandes espaços nas agendas dos legisladores e executores do nosso país.

As Metas de Desenvolvimento do Milênio

Outra importante iniciativa, que se associa à Agenda 21, é as oito metas da ONU para o desenvolvimento neste milênio. Ao anunciá-las na “Declaração do Milênio”, a ONU espera que tais metas sejam alcançadas em 2015 – prazo que, ao que parece, fica cada vez mais “apertado”. Explica-se:

protocolo kyoto A Agenda 21 e as Metas de Desenvolvimento do MilênioEmbora tenham sido adotadas pelos 191 países membros da ONU em 8 de setembro de 2000, o objetivo de sintetizar acertos e acordos celebrados por diversas nações na década de 90 vem sendo cada vez mais desacreditado com o descumprimento de outros acordos, como o Protocolo de Kyoto.

Isto porque as metas incluem pontos que, para serem alcançados, necessitam obedecer às preocupações, inclusive, da própria Agenda 21. “Erradicar a pobreza extrema e a fome, Atingir o ensino básico e universal, Melhorar a saúde materna, Combater a AIDS…, e Garantir a sustentabilidade ambiental” são metas impossíveis de serem alcançadas sem que se repense o atual modelo de produção/consumo.

A tão sonhada “parceria mundial para o desenvolvimento” esbarra em lobbys e pressões das indústrias bélica, tabagista e farmacêutica, sem falar das diversas posturas dogmáticas de religiões como a católica – que insiste em combater o uso de preservativos, fundamental para a erradicação de doenças como a AIDS (6ª Meta) e que já beira a endemia.

As 8 Metas foram formuladas para serem concretas e mensuráveis – e trazem, inclusive, 18 objetivos e 48 indicadores. Aguardemos que elas entrem, finalmente, nas preocupações principais dos países e de seus governantes.

f iconCompartilhar no Facebook
Quer mais notícias sobre sustentabilidade?

Nós gostamos de compartilhar histórias como essa no Facebook.
Clique em curtir abaixo e comprove.

(Sério, você não vai se arrepender!)

comente

12 Comentários para “A Agenda 21 e as Metas de Desenvolvimento do Milênio”

  1. Geane Flávia

    Ser sustentável é obrigação de todos, até mesmo pq se não tomarmos a iniciativa de desenvolver sem destruir acabaremos afogados no lixo que nós mesmo produzimos.

  2. Derli Silveira

    Sustentabilidade não é só uma palavra da moda, e bonita para ser dita num
    grupo de amigos, é para ser posta em prática de imediato, ou será tarde demais.

  3. Márcio Marino

    Bom dia

    Srs e Sras

    Parabéns pelas publicações.
    Gostaria de receber mais informações nno que toca a sustentabilidade, pois faço uma pós na área TECNOLOGIA AMBIENTAL APLICADA EM MINERAÇÃO E SIDERURGIA.

    ATENCIOSAMENTE
    MÁRCIO MARINO

  4. nathalia

    obrigado vcs salvaram a minha vida o meu futuro agora eu dependo de vcs para realizar a 1 tarefa de um grande trabalho

  5. Gibran Moraes

    Fiz pesquisas sobre o assunto e pude chegar a uma conclusão, que sustentabilidade é o que 96% da população desse planeta, que está chegando ao seu limite de viver, NÄO faz nenhuma execução, NÂO faz nenhuma prática, ou seja, nós seres humanos responsáveis pela vida de um “pedaço” da galáxia, não estamos fazendo por onde em que o destino de nossa CASA seja destruída, em que a Terra não continue seguindo o caminho da morte. A cada ano aumenta o número de catástrofes na Terra. Na vida que levamos, não falta muito para a morte ser nossa companheira.

  6. ronan

    eu acho que e munto legal sensasional gosto munto de coisa legais mais tabom a gora vor falar de terra e desennvovimento gosto munto de coisa legais como o dia da terra e isso eu acho mutho legal para nos e vcs são viados que quima lixo organicos na rtua e caga munto no vaso eu acho munto chato caga e não limpa a bunda e jogar papel no cão nos temos que preserva a terra ela tem que ser bonita e linda e cagona masi eu tu vo caga e não fechara tamapa nos caga ne pedão e tem que preserva a terraa

  7. jessika silva

    As pessoas deveriam ter mais conciência dos seus atos e pensarem mais no futuro do nosso planeta, pois a cada ato negativo a terra vai se “decompondo” e quando uma material único se decompõe e impossível reconstruí-lo

  8. jessika silva

    As pessoas deveriam ter conciência dos seus atos e pensarem mais no futuro do nosso paneta, pois a cada ato negativo a terra se ´´decompõe´´ e um material único quando se decompõe e impossível reconstruí-lo!!

  9. Arsilia Maiela

    A informacao e rica so lamemtar que alguns dos objectivos do desenvolvimento do milenio nao sejam alcancados ate 2015.

  10. Bruno Gonçalves

    Cientificamente já esta provado,que o uso do preservativo,não tem gerado nem 0,00000000001% do resultado esperado.A endemia,como ressalta o texto, é por questões culturais.A solução não é bater de frente com a Igreja Católica,pois há grandes cientistas espalhados pelo mundo que concordaram com Papa Bento XVI,a camisinha não é solução para a Aids na África,mas sim a santidade.

Deixe um comentário

XHTML: Você pode utilizar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>